Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS VÃO ATROFIAR CRESCIMENTO DAS ÁRVORES

Mäyjo, 31.12.15

arvores_SAPO

Sequóias gigantes com mais de 50 metros no futuro? Não, não será possível. De acordo com um novo estudo, as florestas mundiais vão ser deixar de ser tão imponentes no futuro devido às alterações climáticas.

O estudo, publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences, indica que as próximas gerações de árvores de grande porte não vão conseguir atingir as proporções das congéneres actuais. De acordo com a investigação, escreve o Inhabitat, a diminuição da neve que cai durante o inverno e as temperaturas mais quentes – que diminuem os recursos de água disponíveis durante o verão – estão entre as principais causas que vão influenciar o crescimento das árvores.

Paras o estudo, os investigadores analisaram cerca de 11.900.000 quilómetros quadrados de floresta californiana – um dos locais com as árvores de maior porte do planeta. Para estimar o stress hídrico, os investigadores recorreram a modelos computacionais para calcular a quantidade de água que as árvores estavam a receber e quantidade real que necessitavam, tendo em conta factores como a precipitação, temperatura do ar, humidade do solo e derretimento da neve.

Entre outros fatores que vão contribuir para um crescimento mais pequeno das árvores está o abate das atuais árvores de grande porte, a desflorestação e os esforços de supressão dos fogos.

Foto: Repp1 / Creative Commons

LAS VEGAS COMO NUNCA A VIU: A 3.300 METROS DE ALTITUDE

Mäyjo, 30.12.15

Vincent Laforet é um premiado fotógrafo norte americano, conhecido entre os principais meios de comunicação dos Estados Unidos e dos amantes de fotografia. Embora trabalhe habitualmente para órgãos de comunicação – em 2002 partilhou um Pulitzer na categoria de fotografia com dois colegas do New York Times com um trabalho sobre os eventos subsequentes ao 11 de Setembro feito no Paquistão e Afeganistão -, ocasionalmente gosta de fotografar cidades à noite vistas de cima.

Uma destas cidades foi Nova Iorque, mas o seu trabalho mais recente é relativo a Las vegas. Laforet subiu a 3.300 metros de altitude e fotografou a Cidade do Pecado, transformando-a numa metrópole néon rodeada pela escuridão do deserto.

Com o equipamento adequado, Larofet – que há muito queria fotografar Las Vegas, escreve o Bored Panda – conseguiu transformar Las Vegas numa ilha luminosa.

 

Veja algumas das fotos.

Fotos: Vincent Laforet

 

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS PODEM PROVOCAR AUMENTO DAS ERUPÇÕES VULCÂNICAS NA ISLÂNDIA

Mäyjo, 29.12.15

islandia_SAPO

É sabido que o aquecimento global está a provocar o degelo dos glaciares, que por sua vez aumentam o nível da água do mar e, consequentemente, as terras mais baixas vão ficando submersas. Porém, na Islândia está a acontecer um fenómeno inverso.

A ilha está a elevar-se cada vez mais devido às alterações climáticas, com a terra libertada pelo derretimento do gelo a provocar uma elevação de cerca de 3,5 centímetros por ano.

Aparentemente, o fenómeno seria benéfico para os habitantes que ao longo do tempo ficariam com mais território disponível. Mas os cientistas acreditam que a elevação extra pode provocar um aumento da actividade vulcânica – exemplo disso são as três erupções ocorridas nos últimos cinco anos que obrigaram a fechar grande parte do espaço aéreo europeu devido às grandes quantidades de cinzas expelidas.

Numa nova investigação, publicada na revista científica Geophysical Research Letters, cientistas da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, e da Universidade da Islândia descobriram que a crosta terrestre na região da ilha está a aumentar a um ritmo mais rápido na sequência do maior aquecimento sentido nos últimos 30 anos.

Há algum tempo que os investigadores sabem que a terra libertada do peso das camadas de gelo tende a elevar-se. Mas o que os cientistas não anteciparam foi a rapidez com que a crosta terrestre estava a elevar-se na Islândia. “É semelhante a colocar pesos num trampolim. Quando se retira os pesos a tela elástica do trampolim ressalta para a sua forma original”, explica Richard Bennet, geólogo da Universidade do Arizona e autor do estudo, ao Guardian.

O maior ressalto da crosta terrestre deve-se a um aumento do aquecimento do planeta ao longo dos últimos 30 anos. “O que descobrimos é que a elevação está a aumentar. É mais rápida em todos os locais devido à perda acelerada da massa de gelo”, indica o investigador.

A investigação baseou-se em 62 dispositivos GPS que foram colocados por toda a ilha para registarem as alterações de posição. Alguns dos dispositivos estão colocados desde 1995.

A reacção em cadeia do degelo dos glaciares, aumento da crosta vulcânica e actividade vulcânica não é compreendida inteiramente pelos cientistas. Mas uma coisa é certa: à medida que a crosta terrestre se eleva também os materiais das profundezas libertados da pressão do gelo ascendem. “Estes materiais transportam o calor tal como uma bata ta quente à medida que se movem de pressões mais elevadas para pressões menores e encontram condições que promovam o derretimento”, explica Bennet. Estas condições são bastante favoráveis à ocorrência de erupções.

Foto: raudkollur / Creative Commons

KIRIBATI PODERÁ DESAPARECER DENTRO DE 30 ANOS

Mäyjo, 28.12.15

kiribati_a

Kiribati, bela e ameaçada

Fotos: DFAT photo libraryKevGuy4101 / Creative Commons

NORUEGA É O PAÍS MAIS BEM PREPARADO PARA RESISTIR ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

Mäyjo, 27.12.15

Noruega é o país mais bem preparado para resistir às alterações climáticas

Todos os anos, a Universidade de Notre Dame publica a actualização do Global Adaptation Index, uma lista onde indica as nações mais bem preparadas para enfrentar as alterações climáticas e as que menos preparadas.

No topo do ranking deste ano está a Noruega como o país mais bem preparado para enfrentar as alterações climáticas. Seguem-se a Nova Zelândia, Suécia, Finlândia e a Dinamarca fecha o pódio dos primeiros cinco lugares. Portugal surge no 29º lugar, posição que mantém desde 2012.

O índice avalia a resiliência nacional de 175 países, baseada na respectiva vulnerabilidade às alterações climáticas e na sua rapidez de adaptação a inundações, tempestades e desastres naturais consequentes das alterações do clima, refere o Motherboard.

As classificações de 2014 surgem com poucas surpresas. As nações mais bem preparadas para responder às consequências das alterações climáticas são maioritariamente países desenvolvidos, tecnologicamente avançados e com maior igualdade social. Os países subdesenvolvidos são os que se encontram no fundo da lista, apresentando pouco acesso a recursos essenciais, pouco avanço tecnológico e políticas económicas quase inexistentes.

Foto: Florian Seiffert (F*) / Creative Commons

Pág. 1/8